Portal atualizado em: 6 de julho de 2022 às 10:23h

Academia Sapeense de Letras, Artes e Cultura é instalada durante semana Augusto dos Anjos

Início Academia Sapeense de Letras, Artes e Cultura é instalada durante semana Augusto dos Anjos

A Academia Sapeense de Letras, Artes e Cultura (ASLAC) foi criada no município de Sapé durante o encerramento da semana em alusão ao poeta Augusto dos Anjos. A nova entidade prevê, além da criação da academia, o fomento e a propagação da língua portuguesa e da literatura brasileira, das artes e culturas nacional, regional e local. Ela foi consolidada pela Lei nº 1413/2021, de autoria do vereador Dayvid Mathias.

A ASLAC foi criada com a união de um grupo de pessoas da cidade que sonharam com uma Instituição que incentivasse e reconhecesse os autores locais. A ideia foi abraçada pelo vereador, que transformou a iniciativa em um projeto de lei aprovado pela Câmara e que virou Lei Municipal.

O prefeito Major Sidney destacou a importância da Academia para a cidade. “Eu me sinto lisonjeado em acompanhar o desenvolvimento da nossa cultura com a criação da ASLAC. Nós falamos muito em uma Sapé histórica e precisamos fazer esse resgate da nossa história, criando mecanismos para que ela seja espalhada e difundida através das gerações”, afirmou.

Durante o evento, foram nomeados os integrantes da Academia: a presidente, que também é diretora da Biblioteca Municipal Augusto dos Anjos, Ana Maria Almeida; o escritor Aroaldo Maia, que também estava representando a Academia de Cabedelo como membro efetivo; os ativistas culturais Manoel Batista e Sérgio Beltrão; as professoras Maria Selma e Nadja Cristiane, o professor PhD Paulo Palhano, Severino Francisco e o diretor de Cultura do município de Sobrado, Edno Paulino.

A presidente da ASLAC, Ana Maria Almeida, explicou que a academia é uma forma de manter viva a memória de Sapé: “Estamos com o propósito de perpetuar a memória patrimonial literária e cultural de nossa cidade, esse é um grande passo para a transcendência em desbravar, enaltecer e imortalizar nossos vultos na literatura, arte e cultura popular”, comentou.

Farão parte da Academia as três cidades: Sapé, Mari e Sobrado, cidades irmãs na cultura. O secretário de cultura de Sapé, Kelson Ricardo, defendeu que a ASLAC promove o incentivo e o acesso à cultura a todos os cidadãos. “É importante pontuar a magnitude que essa lei traz para Sapé. É um marco na história literária, artística e cultural. Estamos orgulhosos dessa nova página que está sendo escrita”, disse.

Estiveram presentes no evento, o prefeito de Sapé, Major Sidney; o vereador Davyd Mathias; o secretário de Educação, Marcone Pessoa; o secretário executivo de Cultura, Kelson Ricardo;  o presidente da Academia Paraibana de Letras, Ramalho Leite; o presidente da Academia de Letras de Guarabira, Padre Emiliano Camilo;  o representante da Academia de Letras do Vale de Mamanguape, Cássio Marques;  o membro do Instituto Histórico e Geográfico paraibano, Waldir Porfírio e os músicos Sapeenses Ivan Martins, Ocimar Santana e Matheus Mouzinho e a Diretora da Biblioteca Municipal de Sapé, Ana Maria Almeida.

Confira as fotos:

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Ao continuar navegando no nosso portal, você concorda com a nossa Política de Privacidade. Para ter mais informações, acesse nossa página de Política de Privacidade