Portal atualizado em: 3 de fevereiro de 2023 às 12:33h

Rede municipal de ensino em Sapé foca em processo de alfabetização dos alunos

Início Rede municipal de ensino em Sapé foca em processo de alfabetização dos alunos

Rede municipal de ensino em Sapé foca em processo de alfabetização dos alunos

Autor: Assessoria

Rede municipal de ensino em Sapé foca em processo de alfabetização dos alunos

A Prefeitura de Sapé, com o propósito de melhorar a qualidade da alfabetização dos estudantes, implantou o projeto “É tempo de aprender”, que capacita os profissionais da educação para contribuir com o avanço dessa etapa da aprendizagem. No município, a iniciativa acontece através da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Turismo (Sedcet). Nesta quinta-feira (08), […]

08/09/2022 17h20 Atualizado há 5 meses atrás

A Prefeitura de Sapé, com o propósito de melhorar a qualidade da alfabetização dos estudantes, implantou o projeto “É tempo de aprender”, que capacita os profissionais da educação para contribuir com o avanço dessa etapa da aprendizagem. No município, a iniciativa acontece através da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Turismo (Sedcet). Nesta quinta-feira (08), Dia Mundial da Alfabetização, a Prefeitura o acompanhamento que tem ofertado aos alunos da rede municipal.

Atualmente, o município de Sapé conta com 38 escolas, sendo 20 na zona urbana e 18 na zona rural, em um total de 6.656 alunos. Para atender às 592 crianças da primeira infância, o município dispõe de quatro creches que funcionam em tempo integral e outras 23 que oferecem o serviço em tempo parcial.

Para alcançar a meta de alfabetizar as crianças por volta dos 6 anos de idade nas escolas da rede municipal, foi implantado o programa nacional ‘Tempo de Aprender’. Ele é idealizado pelo Ministério da Educação (MEC), que capacita os profissionais da educação para contribuir com o avanço da alfabetização. O projeto desenvolve ações estruturadas em quatro fundamentos: a formação pedagógica, o apoio pedagógico e gerencial para a alfabetização, aprimoramento das avaliações da alfabetização e valorização dos profissionais.

A partir do programa, além dos professores, as salas de aula dispõem de assistentes de alfabetização, que são profissionais qualificados para detectar possíveis problemas no processo de aprendizagem dos alunos e a partir daí utilizar técnicas para que isso possa ser revertido. O projeto é anual e tem duração de oito meses, atendendo 14 escolas, entre a zona rural e urbana e crianças das turmas de primeiro e segundo ano do ensino fundamental I, com idades entre 6 e 7 anos.

A medida também busca reverter os efeitos na educação causados pela pandemia da covid-19. Uma pesquisa realizada através do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelou que o percentual de crianças entre 6 e 7 anos que não sabem ler e escrever quase dobrou neste período.

De acordo com o secretário de Educação, Cultura, Esporte e Turismo, Marcone Pessoa, a implantação do programa tem trazido ótimos resultados no ensino das crianças, que passa a ter uma abordagem individualizada e observando as dificuldades de cada aluno. Ele também ressalta o papel dos pais no processo de aprendizagem.

E“Com o retorno desses estudantes às escolas, algumas mudanças precisaram ser realizadas. A alfabetização é um processo iniciado na escola, mas que se estende à casa de cada um deles, onde os pais precisam atuar como verdadeiros agentes facilitadores, estimulando e acompanhando durante nesse período da alfabetização”, ressaltou.


Ao continuar navegando no nosso portal, você concorda com a nossa Política de Privacidade. Para ter mais informações, acesse nossa página de Política de Privacidade